Você. Tempestade que bagunça ideias, inunda desertos, transborda em mim. Rompe a barreira da minha lucidez e se faz senhor dessa loucura. Revira meus pensamentos, me leva ao limite e explode irracional e louco no meu íntimo.

Eu. Seu avesso, sua mentira, o esconderijo, o porto inseguro. Seu vício incorrigível, o remédio e a cura. A medida des-exata de todas as coisas. Seu ego, sua menina, seu doce meio amargo.

Nós. O passo fora do compasso, o improvável. O mar num dia de ressaca. As ondas batendo forte contra pedras, num suicídio de espumas brancas. Uma vida vivida em um instante e desfeita num descuido.

Um comentário sobre “Sujeitos Improváveis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s