Quase verdes

290718-Quase verdes

Não quero estar em nenhum outro lugar além deste, ao seu lado, desfrutando o tempo em uma entrega absoluta, sem considerar a iminente finitude de nós dois. Porque eu vibro, por dentro e por fora a cada toque. E, quanto mais eu vivo, mais eu fico viva. Na simplicidade do acaso, sem querer, eu quero você, por inteiro, em cada um dos seus detalhes e nos seus olhos quase verdes.

Permito-me esquecer das circunstâncias, os destinos bifurcados e as diferenças irreconciliáveis para experimentar as possibilidades, ainda que sejam elas um desejo secreto e improvável de um futuro que não existirá. Permito-me embriagar-me de vinho e das vontades com meus pés tortos, com tudo o que me resta e que me transborda, um pouco mais, todos os dias.

Quero essa história de outras formas, de outros jeitos, com outro enredo. As noites, as madrugadas ilícitas e as manhãs preguiçosas. Quero o peso do corpo, a leveza da alma, o calor das mãos, a umidade dos beijos, o gozo e as verdades das palavras que não precisam ser ditas no implícito de nós dois. Nada se desvenda. Tudo é secreto e não quero respostas além da certeza do que sinto.

Sinto, para além da lógica ou do tempo, num começo que não se faz e que reinventa tudo aquilo que fui, que sou e que serei, tatuando a memória e os sentidos, fazendo o ar mais doce, mais calmo e seguro.  Quero o futuro que não ousamos planejar, quero agora e quero ontem, aproveitando cada instante sem me entristecer, sem reservas ou medo, sem querer estar em nenhum outro lugar além deste, ao lado seu.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s